segunda-feira, 13 de maio de 2013

Tudo sobre o saco mágico


Possivelmente será o saco mais usado pelos pescadores de spinning, possivelmente será onde cada pescador guarda as suas mais preciosas relíquias, segredos o porque não os sonhos, porque por detrás de cada amostra se encontra a esperança do robalo record que todos procuram. Falo-vos do Lure case da Shimano.


Até a data é o saco mais versátil e prático que encontrei no mercado, não é um saco perfeito mas com uns pequenos ajustes quase que fica. O meu primeiro saco foi adquirido a 3 anos e mesmo com os meus habituais maus tratos ainda durou bastante tempo, muitas costuras e remendos foram feitos para o tentar tornar eterno, mas a dada altura apercebi-me que estava na altura do trocar por um novo. Mas antes da sua última viagem ainda pousou para umas fotos, onde se nota os fechos colados com o salitre, presilha traseira remendada vezes sem conta e alvéolos interiores manchados de ferrugem.

 



Ao longo deste tempo e em conversas com outros pescadores fui acumulando uma série de dicas que hoje em dia as considero importantes e decidi aproveitar as fotos do novo saco para falar delas.

Existem 3 coisas que eu considero obrigatórias de fazer assim que se compra o saco.


1- Tapar todos os buracos existentes no fundo dos alvéolos.

Logo na primeira utilização apercebemo-nos que com muita rapidez as fateixas tendem a se enganchar nos buracos do fundo dos alvéolos e que durante a pesca acabamos por perder imenso tempo a desmontar para desenganchar as fateixas




As divisórias amovíveis serão quanto a mim a coisa mais fácil de remediar um simples rolo de fita-cola resolve rapidamente o problema, inicialmente resolvia este problema cortando uns bocadinhos de placas finas e colando-os, mas de volta e meia uma fateixa acabava por enganchar nessa placa, há muito tempo que resolvo este problema com um simples rolo de fita-cola.


Os furos dos alvéolos mais pequenos terão de ser mesmo tapados com bocadinhos de placas, ainda não descobri melhor opção, no meu caso utilizei umas folhas tipo acetado pretas que foram coladas com fita dupla face.
Os bocadinhos de placa foram inicialmente cortados em rectângulos com 3,8x2,4cm e posteriormente arredondei os cantos com ajuda de uma tesoura.





2- Tapar todas as zonas em tecido onde as fateixas se podem espetar.

A mais pequena distracção que se tenha ao tirar amostras do saco ficamos logo com ela presa nos fechos e tecidos envolventes, até porque todos os remates do fecho estão viradas para dentro, e quando isto acontece garanto que é um problema, por vezes demorado de resolver.


A Solução até que é simples, no meu caso arranjei uma folha de acetato e cortei-a com 62x13,5cm e simplesmente a meti dentro do saco a tapar todos os fechos e zonas problemáticas. Não se preocupem se o plástico ultrapassa a altura do primeiro fecho que o saco abre e fecha perfeitamente.






3 – Reforçar a presilha traseira

Este é sem dúvidas o maior problema de resolver e o mais complicado, porque o simples rodar o saco de trás para a frente vezes sem conta, faz com que o próprio cinto corte todas as costuras e até mesmo o próprio tecido.



Ultimamente tenho usado uma solução que me tem agradado muito, corto um bocado de lona conforme o desenho em baixo, dobro-o ao meio e o meto dentro da presilha de forma a tapar os 2 lados do cinto. 






Assim o cinto fica a correr dentro desta segunda presilha. Depois disso meto fita dupla face nas 2 “orelhas" que ficam de fora e colo-as ao saco. Ao cola-lo com fica dupla face facilita-me posteriormente a substituição da lona sempre que necessário. De notar que a lona está mais larga do que a própria presilha, para eu ir visualizando quando é que está a rasgar para a substituir.




Sei que estas soluções podiam já vir assim de fábrica e acredito a shimano podia resolver estes pequenos problemas, bastando parra isso simplesmente a boa vontade de resolver, mas enquanto isso não acontece temos que ir metendo mãos a obra.

O processo total de “quitar” o saco demora de 20 a 60 minutos, dependendo do jeito de cada um, mas garanto que vale mesmo a pena.


Agora que já temos o saco pronto para a guerra existem ainda uma série de dicas que aproveito para dar.


Uso de elásticos nas amostras.

São muitos os benefícios desta prática, a começar pela facilidade que temos em manusear as amostras, minimizando descuidos de espetar as fateixas em sítios inapropriados, o que acontece com mais facilidade quando estão com as fateixas soltas. Também conseguimos meter com mais facilidade mais do que uma amostra dentro de cada alvéolo. Com os elásticos as últimas fateixas não enferrujam com tanta facilidade. Esta fateixa tem tendência a enferrujar mais do que as outras porque ficam sempre encostadas ao fundo do alvéolo apanhando mais água e enferrujando mais rapidamente. Muitos pescadores também utilizam a técnica de meter as amostras de cabeça para baixo para evitar este problema, mas eu pessoalmente gosto de ver a amostras olho no olho.





Pendurar as amostras mais pequenas.

As amostras abaixo de 13cm acabam por ficar caídas no fundo dos alvéolos, tornando por vezes complicado o processo de ir buscar uma amostra, sei que as divisórias amovíveis foram desenhadas para facilitar-nos estas acções, mas penduras a amostras pela primeira fateixa é para mim o processo mais rápido e fácil. Tenho assinalado na foto abaixo com o nº 1 uma amostra caída dentro de um alvéolo e nos números 2 e 3 um exemplo das amostras penduradas nos alvéolos.

Esta dica também funciona muito bem com os vinis que ficam com o “rabo” no ar facilitando a procura deles dentro do saco.





Deitar as amostras de 17cm

Muitos pescadores ainda dizem que não cabem as amostras de 17cm dentro destes sacos e apesar de eu ter outra solução para elas, fica a dica que elas cabem perfeitamente deitadas em cima das outras amostras, ficamos é limitados a transportar 2 ou 3 amostras de 17cm




Para finalizar queria também deixar a dica de limparem a ferrugem dos alvéolos brancos com limão e passem sempre os fechos por água doce, se possível lubrifiquem-nos pelo menos 1 vez por mês.

Com estas dicas todas quase que podemos imortalizar o nosso saco mas acima de tudo podemos desfrutar mais da pesca minimizando o tempo perdido em situações desnecessárias.

1 abraço
zé 

18 comentários:

  1. Boas Zé,

    bom Post, só uma coisa a dizer, a folha de acetato para meter à volta vai durar pouco tempo pois a força do pano da mala vai deformar a folha toda, no entanto, em vez de meteres acetato metes uma folha de plástico mais grossa e assim funciona bem melhor.

    A folha pode ter de 0.8mm a 1mm de espessura que não há problema, dura mais tempo e cabe na boa ;)

    http://imageshack.us/a/img839/9189/boxfs.jpg

    Grd abr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. boas Master.

      acredito perfeitamente que a folha mais grossa dure mais, mas esta folha tipo acetato é a que consegui arranjar... talvez numa próxima pescaria me arranjes uma folha mais grossa ;)

      1 abraço

      Eliminar
  2. Boas Zé,

    A minha bolsa já tem 2 anos e ainda “rola”. Efectivamente os 3 pontos que focaste são extremamente importantes na conservação e manuseamento da bolsa, aliados também, como referiste, á passagem por água doce e lubrificação dos fechos após as jornadas de pesca.

    Abraço e boas pescarias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá José.
      muito obrigado pelo teu comentário.
      convém tratar sempre bem a bolsa das nossas relíquias, e se na altura soubesse destas dicas a minha bolsa duraria muito mais tempo.

      Eliminar
  3. ola ze ..concordo com os tres pontos que focas te ,mas acho que o mais importante mesmo ´e a ferrugem dos triplos ,pois temos muitas amostras que cada uma vale bem mais do que o proprio saco, e os triplos de qualidade sao bastante caros.. abraço...faz umas pescas boas..

    ResponderEliminar
  4. pois é, hoje em dia não é nada difícil ter cada amostra a custar mais do que o próprio saco,há uma série de bons habitos que fazem as fateixar durarem muito mais.... talvez para um outro post falarei deles ;)

    1 abraço

    ResponderEliminar
  5. A minha já tem tudo isso. Agora preciso que "inventes" uma forma de guardar as amostras de 20 cm. Não valem as tuas ideias luminosas de cortar o fundo ou a tampa ou de deitar as amostras. eheheheheh
    Também não proponhas cortar as amostra...
    Fico à espera.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro leitor Pedro Soeiro.

      darei uma série de dicas para guardar então as amostras de 20cm

      1- pendurar a amostra do lado de fora do saco.

      2 - podes coloca-las comodamente dentro dos alveolos (não dá é para fechar a tampa)

      3 - se retirares todos os alveolos do saco consegues colocar pelo menos umas 10 amostras lá dentro, possivelmente mais(de canto a canto)

      4 - podes arranjar um saco tipo lidl e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      5 - podes arranjar um saco tipo continente e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      6 - podes arranjar um saco tipo intermarche e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      7 - podes arranjar um saco tipo pingo doce e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      8 - podes arranjar um saco tipo mini preço e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      9 - podes arranjar um saco tipo jumbo e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      10 - caso pretenda algo mais sofisticado podes sempre arranjar um saco plastico da shimano e pendurar no saco para transportar essas amostras.

      como vê dicas não lhe faltam agora meta mãos a obra e envie-me umas fotos para ver como ficou o tunning para transportar as amostras de 20cm

      1 abraço

      Eliminar
    2. Muito bem. Vou meter mãos à obra e depois mostro-te. eheheheh.
      Mi aguarde vai...

      Eliminar
  6. É pá depois da dica tunning ao SOEIRO até me dói a barriga de tanto rir , mas ainda lhe falta o saco de plástico do banco alimentar que é o saco dos pobres ao contrário do teu que é só DUO´s lá dentro ,vives onde no DUBAI?? um grande abraço para vocÊs seus estarolas Robalo de Carbono

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande amigo robalo de carbono
      sabes que eu não queria muito dar mais dicas ao soeiro porque caso contrario o homem ainda monta uma fábrica de sacos plasticos... hhehehhehe

      1 abraço para ti ;)

      Eliminar
  7. Olá Zé!

    Finalmente preocupado com o material.... :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. grande ninja

      não é o estar preocupado com o material... é o tempo que poupo quando estou a pescar.... ;)

      1 abraço

      Eliminar
  8. Obrigado pelas dicas, já trabalhei na minha!!!

    ResponderEliminar
  9. olá Nuno..

    sempre as ordens ;)

    1 abraço

    ResponderEliminar